19.2.10

Um resquício de moral

Algumas figuras do direito administrativo brasileiro ainda podem ser bastante elogiadas, tanto na sua essência; criação; forma, quanto em sua aplicabilidade. A intervenção federal (prática do governo federal para intervir diretamente no controle de um ente federativo - estado ou município - para reorganizar este no que estiver em descontrole) é um exêmplo e ainda é temida nos Estados.

Da última vez que a ameaça de intervenção foi feita, ao que me lembre, foi a alguns anos na crise do sistema de saúde do Estado do Rio de Janeiro. Várias denúncias contra hospitais públicos; mobilização da imprensa; forças armadas no estado e a população desejosa por melhorias foram alguns dos fatores que, se não resolveram a situação por lá, causaram alguma pressão, muito trabalho de investigações e algumas prisões.

Porém, nada visto no Rio pode ser comparado ao que ocorre no Distrito Federal nesta semana. Uma semana atípica na cultura brasileira, onde nada de muito sério ocorre na econômia, política e em quase todos os ramos da sociedade, afinal é carnaval.

Confesso que - mesmo eu, que me interesso pela política nacional, tenho uma parte da família e um futuro pela frente em Brasília - não esperava que os recentes escândalos do governo local fossem ter andamento até o fim desse mês.

Tudo começou em dezembro de 2009 quando o governador, o vice e vários membros da política local foram flagrados recebendo dinheiro de propina. Até o fim do mês, 11 pedidos de impeachment e outros 10 de cassação de deputados distritais foram parar na Câmara Legislativa do DF.

A novela Arruda se rendeu a banho maria por algumas semanas e a casa leguslativa do Distrito Federal ignorou às provas que seguiam sendo destaque na imprensa nacional e aos anseios de órgão sérios como Ordem dos Advogados do Brasil e outros, seguindo para seu recesso administrativo.

Impeachment e cassação: duas palavras complicadas mesmo antes de se saber o significado. Depois que se sabe então, ficam bem mais. As festas de fim de ano passaram, os parlamentares do DF voltaram de férias e o caso foi reaberto com o fim da CPI da corrupção, criada para investigar o caso.
Quando tudo se encaminhava à pizzaria mais próxima e ao profundo esquecimento, a notícia do afastamento do governador e da prisão preventiva decretada, assim como a ameaça federal de tomar o controle da situação, abalou as celebrações de carnaval da cúpula do Democratas-DF.

A novela, contudo, continua, mesmo com a renúncia de Arruda, já que o vice governador ( o empresário Paulo Octavio) manifestou seu interesse em continuar no governo e pediu apoio aos deputados.

O certo disso tudo é que ainda veremos muitos capítulos desta novela "mensalão do DEM", e espero que hajam outras grandes surpresas como essa.

7.2.10

Como a Fênix

Bateu saudade! Não sei o que me ocorreu nesta tarde de domingo extremamente quente, como as últimas, na região de BH.

Quando vi o grande parceiro e poeta, DiOli, editando o layout e as postagens de seu filho cibernético, fiquei com muita vontade de dar as caras por aqui, afinal, há muito nossa brasa não está mais tão ardente como outrora.

Ao chegar em casa, vim logo "fuçar" no histórico, nas primeiras postagens desse blog, o que só aumentou a sede em escrever algo. Pensei logo numa crônica sobre este tempo que fiquei afastado e me deparei com algumas questões:

- Será que ainda tenho assuntos?
- Sim, respondi-me prontamente. Já que em outros tempos escrevemos sobre tantas variedades e discutimos na criação desse espaço que "tudo o que pega fogo deveria entrar na fogueira", não seria tão difícil arrumar uma crônica.

Outras perguntas me vieram e a mais importante foi:

- Será que ainda vou ter leitores, seguidores? Afinal, aprendi que não faço nada exclusivo pra mim; ninguém faz.

Uma coisa é dizer do reconhecimento, de prêmios, de ser o blog mais visitado da net. Não tenho nenhuma pretenção quanto a isto, mas, sim! Espero que alguém se disponha a compartilhar comigo este texto. Seria bem legal! Porém, não vi nenhuma dificuldade em sair dessa questão e deixar algumas palavras por aqui. O que vier a seguir é muito bem vindo e não planejado.

Contudo, enalteço meu saudosismo aos leitores, se ainda houver algum. Voltarei a dar mais as caras, com alguma frequência, por aqui, porque percebi que sinto falta disso. Não só dos textos, dos debates, mas do simples prazer de conversar e de públicar isso pra quem se interessar.

Tomara que daqui pra frente eu possa ter mais inspiração e ressucitar das cinzas este espaço, sempre aberto. Precisarei de bastante combustível, mas estou disposto a tentar!

PS I: Obrigado, parceiro poeta. Me fizeste sentir algo tão forte em relação à internet e a esse espaço que saí um pouco do meu mundinho físico e palpável para voltar, espero que definitivamente, a um ambiente de tantas boas recordações e algumas boas idéias.

PS II: Por falar em idéias, aceito sugestões para posts futuros.