27.6.08

Medida sócio-educativa

Só no Brasil mesmo se pode ouvir coisas do tipo da matéria que saiu no jornal da Globo semana passada, por isso o brasileiro é bem humorado. o que você faria se se deparasse com algo neste tipo, leitor? Eu, pode apostar, ri muito.

Falo do ex-governador de São Paulo, Claudio Lembo, que foi condenado em um processo movido pela CVM - Comissão de Valores Monetários - a pagar cerca de R$100 mil por vazar informações sigilosas sobre as ações do banco estatal Nossa Caixa.

Lembo solicitou então uma punição que ainda vai, espero eu, ser motivo de piadas na internet durante muito tempo. O advogado e ex governador se propôs a escrever uma carta aos 27 governadores reconhecendo o erro e seu desconhecimento das normas da CVM. O avanço da tecnologia ajudou um pouco já que o ex governador mandou um e-mail para os 27 "coleguinhas de sala". Além disso, Lembo terá que dar entrevistas e reconhecer em público o lapso.

Se a moda pega:

Não sei quanto a vocês, mas a primeira coisa que me veio a mente foi o Bonner e a Fátima lendo algumas cartinhas:


População, não sabíamos que haviam rivalidades no Rio de Janeiro, apenas chamamos três garotos para um passeio, tá em moda isso, e nos esquecemos aonde pegamos os rapazes, os morros são muito similares. (chefe do exército/zona leste do Rio de Janeiro)

ou então

Meus queridos conterrâneos, todas as benfeitorias realizadas em meu governo para os habitantes de São Paulo foram fraudadas. O dinheiro utilizado para as obras poderia ser menor, mas a obra fiou bem feita e é o que importa. Desconheço a legislação que me fala que isso é crime, afinal, é o preço da modernidade (Paulo Maluf)

entre outras...

9.6.08

culpa dividida


Segundo o relatório do IPT - instituto de pesquisas tecnológicas - 11 principais motivos contribuíram para a tragédia do metrô de São Paulo - Linha Amarela.

Dia doze de janeiro de 2007, a maior cidade do Brasil ficou manchada. Uma tragédia que matou sete pessoas e deixou vários feridos e desabrigados ocorreu na ampliação de uma das linhas de metrô subterrâneo de São Paulo. Foi a primeira vez que uma obra como aquela foi realizada por empresas terceirizadas na cidade e ponto, retomando a crítica feita neste blog pelo poeta Nathan de Castro.

Um ano e meio depois ainda analisam provas, pedras, lama para acharem culpados explicações para a sociedade e para as muitas mudanças provocadas por este fato lamentável.

Mudanças de história, de vida, de endereço de cidadãos simples que não aparecem cotidianamente na mídia, a não ser quando há excesso de vontade, de zelo, das autoridades. Falo isso porque o Consórcio Via Amarela, composto pelas empresas Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, classificou em pesquisa divulgada em 27/3 como "fatalidade" o ocorrido.

O relatório do ITP, divulgado semana passada, prova o contrário, pois evidencia onze aspectos que contribuíram para o fato. o documento não isenta nem o governo da cidade, gestão José Serrra (PSDB). O fato também está sendo investigado por um órgão ligado à polícia, que deve dar seu parecer em agosto. Mas o mais importante, a meu ver, não é atribuir responsabilidades, explicar o inexplicável e nem punir os culpados severamente, apesar de todos merecerem a punição que ainda não veio.

Estamos alimentando o mesmo erro esperando que outros prédios, outros sonhos, outras vidas caiam diante de nós. De nada adianta a história se não pudermos utilizá-la como prevenção de próximas tragédias. Continuamos no mesmo erro de empurrar com a barriga e apontando para o próximo. e nos esquecendo de reconstruir relações de respeito mútuo, indispensáveis ao convívio social.

2.6.08

ansiedade pouca é bobagem

Amigos leitores do Incêndio Acidental. Alguns de vocês devem ter notado a minha ausência neste blog, outros não, mas para todos eu devo dizer que sinto muita falta de ter com quem conversar, mesmo que virtualmente.
Isso ocorreu depois que tranquei minha faculdade e retornei a casa de minha mãe em BH. Parece que neste processo perdi mais do que grandes amigos, aulas, aprendizado e trabalho. Perdi também a vontade, inspiração, tesão mesmo por escrever. Mesmo assim não parei de ler o blog e nem os demais endereços que eu gosto. Estou, na medida do possível, sabendo das novidades de política e esporte, meus dois hobbys, e me atualizando como todo bom profissional. ( tá, agora fiquei um pouco mais longe deste rótulo).
Alguns devem se perguntar, que raios eu estou falando isso em letras aqui? a explicação é muito simples e caberia em poucas palavras.
Peço para que os leitores torçam por mim em minha nova jornada que se começa amanhã. Farei uma operação para correção do meu alto estrabismo, meramente plástica, estética, já que os médicos não estão certos se isso irá aumentar a minha visão. O fato é que esperei isso durante muito tempo e sei que pode abrir alguns caminhos para mim. Sei também que, em breve, retorno com mais ênfase aos meus serviços de pitaqueiro deste endereço eletrônico, não que a inspiração tenha voltado, talvez ela nem existiu um dia, mas realmente sinto falta dessa fogueira, das críticas feitas aqui, das discussões propagadas e das amizades.
Espero que possa contar com a torcida de todos deste endereço e espero também que esteja recuperado brevemente e volte aos meus trabalhos que eu nunca poderia ter deixado de fazer. A satisfação em alimentar este blog filho de uma idéia meio "nas cochas" é muito grande.
obrigado amigos!

Ah, antes que eu me esqueça, Pablo, grande compadre, vou poder olhar reto para a câmera 3, não é o máximo!!!!!!!!!!!!!
kkkkkkkkkk