9.6.08

culpa dividida


Segundo o relatório do IPT - instituto de pesquisas tecnológicas - 11 principais motivos contribuíram para a tragédia do metrô de São Paulo - Linha Amarela.

Dia doze de janeiro de 2007, a maior cidade do Brasil ficou manchada. Uma tragédia que matou sete pessoas e deixou vários feridos e desabrigados ocorreu na ampliação de uma das linhas de metrô subterrâneo de São Paulo. Foi a primeira vez que uma obra como aquela foi realizada por empresas terceirizadas na cidade e ponto, retomando a crítica feita neste blog pelo poeta Nathan de Castro.

Um ano e meio depois ainda analisam provas, pedras, lama para acharem culpados explicações para a sociedade e para as muitas mudanças provocadas por este fato lamentável.

Mudanças de história, de vida, de endereço de cidadãos simples que não aparecem cotidianamente na mídia, a não ser quando há excesso de vontade, de zelo, das autoridades. Falo isso porque o Consórcio Via Amarela, composto pelas empresas Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, classificou em pesquisa divulgada em 27/3 como "fatalidade" o ocorrido.

O relatório do ITP, divulgado semana passada, prova o contrário, pois evidencia onze aspectos que contribuíram para o fato. o documento não isenta nem o governo da cidade, gestão José Serrra (PSDB). O fato também está sendo investigado por um órgão ligado à polícia, que deve dar seu parecer em agosto. Mas o mais importante, a meu ver, não é atribuir responsabilidades, explicar o inexplicável e nem punir os culpados severamente, apesar de todos merecerem a punição que ainda não veio.

Estamos alimentando o mesmo erro esperando que outros prédios, outros sonhos, outras vidas caiam diante de nós. De nada adianta a história se não pudermos utilizá-la como prevenção de próximas tragédias. Continuamos no mesmo erro de empurrar com a barriga e apontando para o próximo. e nos esquecendo de reconstruir relações de respeito mútuo, indispensáveis ao convívio social.

4 comentários:

Pablo Pamplona disse...

Massa vc ressuscitar esse tema, Marcelo! Eu mesmo nem lembrava mais disso, e vc vem com uma crítica pertinente, do nada.

É sempre bom lembrar que existem coisas além de eleições nos EUA, garotas defenestradas e padres voadores (eu sei que estes dois saíram de pauta, mas nem quero saber o que vem por aí!)

abraço, não some não

Marcelo de Freitas disse...

é verdade, mas vejo que nosso papel, não só como incendiário, mas como blogueiro, formador de opinião na internet é mesmo o de fugir do agenda setting da grande mídia, principalmente televisiva, não é?
abração

Trotta disse...

Muito legal essa sua abordagem ao fato, Marcelo! O bom é que a imprensa não está deixando passar esse relatório em branco, e está tentando divulgar o que foi falado, para o público formar sua opinião a respeito.

Eu acho que durante um bom tempo as pessoas vão ter medo de andar na tal linha amarela, mesmo depois da inauguração.

Abraço!

Marcelo de Freitas disse...

sinceramente te pergunto, Totta: será?
será mesmo que a mídia tá deixando isso bem claro? que mídia?acho, sinceramente, que você viu isso porque procurou, na midia geral, mass media, não rola isso ai não, eu acho.