8.4.08

Propaganda Eleitoral: Sobre o post a baixo!

Hum...desorganizarei novamente, ou melhor, incendiarei. (para entender essa frase entre: www.desorgazine.blogspot.com)

Gostei muito da idéia de termos candidatos fantasmas, afinal existem tantas coisas que já são fantasmas nesse país, e olha que elas existem a vários anos. Não é Sarney!
Sobre as campanhas publicitárias políticas eu tenho uma opinião um pouco distanciada, porém paralela a que o Pablo nos mostrou.
Entendo que durante todo processo de democratização e desmocratização (ditadura), ou desmotivação e repressão, a publicidade e propaganda política foram essenciais para chegarmos até o atual estado de democracia, que convenhamos não é muito nem mesmo suficiente.
Mas como diz o velho barbudo, "o espírito não acompanha suas próprias criações" (ou seja, o homem não tem inteligência nem capacidade suficiente para comandar suas criações, as máquinas).
E se entendemos a propagação de idéias ou ideais, propaganda, uma criação humana, devemos ter em mente que não conseguimos dominá-la perfeitamente.
Mas vamos ao que realmente interessa, criticar a propaganda política é essencial para aumentarmos a transparência das propostas dos candidatos e também a qualidade do que temos que engolir através dos meios de comunicação.
É de extrema importância que tenhamos nos mais variados meios a propaganda política e que ao invés de proibirem-as faça a devida fiscalização contra supostos abusos de uso de imagem e de ataques a fé pública, que é o que caracteriza crime eleitoral.
Agora se vierem me dizer que utilizando um blog, veiculo este que é de livre acesso para criação e produção de conteúdo, um candidato tem mais vantagens sobre outro, eu realmente tenho que proferir-lhes um sutil palavreado de baixo calão: VAI TOMÀ NO C@#$@Ú!
Essa ferramenta é como todas deveriam ser, livre. Nada mais que isso, quem souber usar melhor que lucre mais, ou não estamos em uma nação capitalista?

obs: Burrice eleitoral deveria ser proibida!

2 comentários:

Pablo Pamplona disse...

Basicamente concordo contigo, Kennedy, mas nego até mesmo o ato de fiscalização. "Abusos de uso" são muito relativos... pra mim, se é pra ter liberdade de expressão, que seja plena. A própria audiência (em mídias convencionais ou não) é que deve saber filtar essas informações. Falar sobre ataque à fé pública é pressumir um público passivo e facilmente alienado, sem capacidade de separar o joio do trigo. (Apesar de em dias piores eu acreditar que não sabem.)

E falar de lucro em propaganda eleitoral é cruel, mas infelizmente certeiro...

ps.: e o DesorgaZine, vai pra frente?

Luiz Valério: disse...

Os ministros do TSE mostraram-se analfabetos digitais ao publicarem tal Portaria que proibe a propaganda por meio de blogs. Como já amplamente discutido na blogosfera, nos Estados Unidos, a campanha do candidato Barak Obama só chegou aonde chegou graças aos blogueiros simpatizantes que fizeram campanha para ele. Aqui no Brasil, à juventude deveria pelo menos ser dado o direito de se informar sobre os melhores candidatos, uma vez que a fonte de leitura primária dos nossos jovem hoje é a Internete. Saudações blogueiras.