27.3.07

Disco de Ouro!?

Quero assistir o Papa no Faustão ou no Gugu, recebendo seu Disco de Ouro!

23.3.07

Diálogo da eternidade

Hoje, num diálogo super produtivo, os incendiadores chegaram a análises unânimes, O Pensamento, out concours:

[...]
Kennedy
- Não dá pra imaginar, por exemplo, o Fernando Henrique cagando! Eu não consigo!
Pablo
- Verdade! Ele deve ser um cyborg!
Gra
- É, ele e o Serra são cyborgs de outro planeta, que vieram pra conquistar o... Brasil!
Pablo
- São humildes, né...
Gra
- Não querem muito não. São de um planeta pequeno. Já o Bush, veio de um planeta maior, aí quer dominar o mundo!
Kennedy
- Tenho uma teoria de que o bush é uma erva daninha, só que geneticamente modificada...
Marcelo
- Não, o Bush é pior que isso. Ele é uma evolução da borboleta, bruxa! Primeiro, era um casulo, ai virou um lagarto venenoso e depois virou o Bush! Foi a borboleta mais perigosa que a natureza já produziu...
Pablo
- Tipo um Pokémon...


Aprendemos na faculdade, tem base?


A que ponto ele chegou!

21.3.07

Preparativos para a FENACER 2007


Reunião entre autoridades define o papel de cada um nos dias de FENACER

Festa Nacional da Cerveja, uma das maiores festas de Minas Gerais ocorre em Divinópolis no fim do mês de abril.

Como em todas as grandes festas, turistas vêem em grande quantidade para se divertir. Além do entretenimento e de todos os shows, não se pode deixar de lado os problemas causados pelo acúmulo de pessoas, como maior violência e o caos no trânsito.

Há os que gostam da festa na cidade, que ganha repercussão em várias capitais, e há os que acham os problemas maiores do que as vantagens.

No ultimo dia 13 estiveram presentes no 23 batalhão da PM autoridades, como o promotor do meio ambiente Marcio José de Oliveira, o secretário desta pasta, Humberto Pozzolini, representantes da PM e do corpo de bombeiros, além de representantes da organização da Fenacer 2007, para discutir as medidas que devem ser tomadas para os dias do evento.

Foi-se a época que a cidade ficava só com prejuízos nos grandes eventos. Pelo menos foi isso que ficou claro na reunião desta terça, 13.

Em pauta estavam assuntos como segurança, policiamento, atendimento ao público, meio ambiente e limpeza da cidade. Vários dados foram mostrados, como o aumento do número de prisões e a poluição que a festa acarreta com liberação de carbono, contribuindo para o aquecimento global.

De acordo com Dr Marcio José de Oliveira, “todos que estão aqui querem o melhor para o cidadão. Essa reunião é de suma importância para que possamos esclarecer, diante de autoridades competentes e da mídia em geral as obrigações de cada um. Sabemos que os órgãos públicos têm carências, por isso, em certos momentos da reunião ocorrem discussões, mas estamos aqui para chegar a um consenso”, relata o promotor.

O secretário do meio ambiente, representante do prefeito no encontro, Humberto Pozzolini, relata que o movimento na cidade aumenta consideravelmente neste período, por isso a prefeitura precisa da ajuda. “Duas questões foram abordadas com relação à um mesmo problema, ambas solicitadas pelo corpo de bombeiros da cidade. O maior número de plantonistas no Pronto Socorro Regional, lugar para onde são levadas as pessoas quer se machucam no parque e disponibilização de ambulâncias para melhor transporte das vítimas. Sabemos que é de extrema necessidade a resolução destes problemas, mas se a prefeitura se comprometer com isso, ficará em apuros. Quanto às ambulâncias, temos que levar em conta a cidade inteira, por exemplo, minha mãe não vai a shows no parque de exposições, se ela passar mal e precisar de ambulância como vai ser?”, esclarece Pozzolini.

O encontro serviu para elaboração de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), que será assinado pelo prefeito ou por seu representante legal Dr Kelsen Rios. Dentre os principais pontos do termo, podem ser citados a obrigatoriedade do organizador do evento em ajudar nos gastos da prefeitura com a limpeza das ruas da savassi. O valor ficou estipulado em R$ 1.500, que foi o total gasto no ano passado. Outro ponto importante foi que a organização da festa ficará responsável pelo plantio de árvores, para suprimir os efeitos da alta liberação de carbono, a conta de quantas árvores deverão ser plantadas ficara sob responsabilidade da SEMMAD.

O próximo passo será no dia 17/4. Outra reunião marcará a assinatura do termo e suas possíveis modificações.

14.3.07

Me da um abraço?

Abraçar
faz bem à saúde “Terapia do Abraço”, uma forma de tratamento que utiliza o abraço. “Um abraço faz com que você se sinta bem o dia todo”, garante. Mas o verdadeiro abraço é a expressão de uma disponibilidade interior para acolher os outros com que nos encontramos pelos caminhos da vida. Uma forma simples de oferecer apoio, ajuda. É uma terapia que se baseia na criança que nos habita. No lado espontâneo, irracional, instintivo, que existe em cada um de nós. E abraçar bem é algo que se aprende e não custa nada.


Esse cara sabe o que é isso:





União pela saúde

ACCCOM promoveu o primeiro encontro com secretários de saúde de cidades da região

Na quinta-feira 8 foi realizado no Lions Clube o 1º Encontro de Secretários Municipais de Saúde.

Organizado pela ACCCOM (Associação de Combate ao Câncer do Centro-Oeste de Minas), o encontro teve por objetivo familiarizar as autoridades de saúde e a população das cidades desta região e de outras que solicitam atendimento e mandam seus pacientes para fazer tratamento em Divinópolis.

Estavam presentes o presidente voluntário da Associação, Leides Nogueira da Silva; o coordenador do Hospital do Câncer, dr. Roney Quirino; as médicas oncologistas dra. Aline Lauda Freitas e dra. Angélica Nogueira; o presidente-executivo da Fundação Geraldo Corrêa e coordenador da Ordem Hospitaleira São João de Deus no Brasil, Irmão Augusto Vieira Gonçalves; o coordenador de assistência social da ACCCOM, Osvaldo Batista; o gerente administrativo dr. José Eustáquio Pereira; o deputado estadual dr. Rinaldo Valério e cerca de cinqüenta representantes e secretários municipais de saúde. “A Associação atende a todas as cidades do Centro-Oeste mineiro, além de várias da região do Alto Paranaíba, beneficiando um total de 1.359.000 habitantes, por isso, iniciativas como esta são fundamentais para dar confiança a todos os moradores destas cidades menores, através dos secretários municipais de saúde. A qualidade, referência no Estado, precisa ser conhecida pelas autoridades dos municípios do entorno. Além da transmissão de conhecimento de nossa infra-estrutura, um documento será emitido no fim desta reunião apontando as carências dessa instituição e sugerindo soluções aos governos federal e estadual”, relata Leides Nogueira.

Dr. Roney Quirino criticou a morosidade e a burocracia vigente no país. “Em alguns casos graves, como os atendidos pela ACCCOM, o tempo deve ser bem aproveitado, medidas têm que ser tomadas para agilizar os processos. Assim, conseguiremos a eficácia do atendimento aos pacientes”, explica o médico.

O presidente-executivo do HSJD, Irmão Augusto Vieira Gonçalves, valorizou a realização do evento. “Esta reunião é uma bela iniciativa e ganha ainda mais credibilidade sendo realizada no Dia de São João de Deus, santo português que fundou a Ordem de Hospitais e dedicou sua vida a cuidar dos doentes”.

Doutora Angélica Rodrigues salientou a importância de se prevenir o câncer. Segundo ela, os países que oferecem melhores resultados no combate a essa doença exercem um trabalho constante de prevenção e conscientização. A médica relata que precisa haver grande interação entre prevenção e combate, além de educação continuada, não só da classe médica, mas de estudantes e líderes comunitários.

A ACCCOM tem projetos junto a faculdades da região que, em seu primeiro mês, mostrou resultados acima do esperado no que diz respeito a novos profissionais de várias áreas. Assim a informação e a acessibilidade das pessoas aumentam.

O coordenador de assistência social, Osvaldo Batista, falou que a reunião foi um momento de troca de conhecimentos. “Temos que manter unidos os elos entre todas as cidades em prol da saúde dos habitantes. Estamos sempre disponíveis. Sugiro que venham e tragam as pessoas para conhecer as dependências da ACCCOM, assim a tranqüilidade aumenta, pois todos ficam certos que pacientes serão bem tratados”, relata Osvaldo Batista.


Complexo ACCCOM tem Infra-estrutura modelo


Além de reuniões, o evento contou com a visitação em toda estrutura da Associação. São 1.300 m² construídos e existe projeto de ampliação para 5 mil metros quadrados.

A médica oncologista dra. Aline Lauda Freitas diz que é fundamental ao tratamento do paciente com câncer um acompanhamento social e psicológico. “Não podemos deixar de falar do suporte dado aos pacientes aqui. Em vários casos a importância de nossos profissionais, dentistas, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiologistas, psicólogos e tantos outros, se equiparam à função do médico no combate à doença. Também deve ser enaltecido o trabalho de acompanhamento externo, desenvolvido por nossos assistentes sociais e a possibilidade de integração do doente ao meio, com cursos, jogos, bibliotecas, melhorando a qualidade de vida dessas pessoas. Com tamanha potencialidade dessa estrutura é fácil e prazeroso trabalhar”, argumenta dra. Aline.

Os funcionários da captação de recursos da ACCCOM trabalham com metas altas, pois a obra de ampliação está estipulada em R$ 9 milhões.

A coordenadora do setor de marketing e captação de recursos, Dalva de Oliveira, diz que o trabalho na associação é amplo e que não é um simples trabalho para ganhar dinheiro no fim do mês. É a satisfação de cada um dos profissionais em ver essa estrutura grandiosa, e que isso é motivação suficiente. Faz-se um compromisso de alma. “No setor de telemarketing, por exemplo, os funcionários fazem visitas regulares ao hospital. É importante ressaltar que todos são doadores, vestem a camisa da empresa, apóiam essa causa, e, por isso, têm mais facilidade em se relacionar com as pessoas e passar adiante a causa. Além disso, temos a facilitação de doações, por boletos bancários, conta da Cemig e outros. Isso diminui os gastos da ACCCOM e dá credibilidade às doações, que ficam menos sujeitas a desvios”, explica Dalva.

Paula de Oliveira Souza, operadora de telemarketing, argumenta que esse trabalho é uma missão. E diz que algumas pessoas vêem esta profissão como estressante, mas que é muito pelo contrário. Que o povo atende à solicitação das doações com educação, conversa com os profissionais e que cada dia os habitantes estão mais conscientes da importância desse projeto, que tem como objetivo minimizar o sofrimento dos pacientes oncológicos. “Quando ligamos para as pessoas tenho a sensação de que elas abrem o coração, isso é ótimo. Não tenho nada a reclamar, só a agradecer”, diz a operadora de telemarketing.


Conforto aos pacientes oncológicos


Marcos Evangelista Couto é secretário municipal de Saúde da cidade de Araújos. Ele conhecia a estrutura da ACCCOM, mas relata que o encontro com secretários de diversos municípios foi iniciativa proveitosa, não só pelas boas palestras e pela interação com o ambiente, mas para dar maior segurança aos médicos e pacientes. “Às vezes as pessoas não sabem para onde mandar seus pacientes e por isso ficam inseguras. Depender exclusivamente de fazer tratamento em Belo Horizonte causa mais sofrimentos aos doentes, pois as viagens são longas, cansativas. Com a estrutura em Divinópolis todos ficam mais tranqüilos. Tudo é mais perto e as condições são excelentes para a recuperação dos enfermos. Estamos em boas mãos, médicos e pacientes”, fala o secretário.