20.12.06

Dissociação Consciente.

Quero meus chinelos.

Não quero ficar aqui!

Quero um chá bem quente.



Não sei bem onde estou.

Queria que me falassem.

Mas ninguém me responde.


Sou quem eu quero ser.

Mas meu corpo não é.

Estamos em desarmonia.


Ele não sai do lugar.

Sou só minha mente.

Somente o que penso.


Mas eu ainda penso.

Sei que penso.

Será que penso?


Será que ainda existo?

Os outros não me entendem.


Porque quero levantar?

Eles não acreditam.

Eles pensam que não quero.


Será que sabem que penso?

Acho que sim.

Sabem, mas disfarçam,

fogem do futuro.


Acham que vou morrer.

Mas nós todos vamos.

Será que estou morrendo?


Vou sair daqui.

Estou sempre no mesmo lugar,

com pessoas diferentes,

em épocas diferentes.

Um comentário:

Ken Dias disse...

Só para esclarecer, esse poema é meu msm!